Caixa divulga calendário para desbloqueio do auxílio emergencial nas agências

A partir desta quinta-feira (23), os trabalhadores que tiveram o auxílio emergencial bloqueado devido a fraudes devem seguir o calendário definido pela Caixa para comprovar sua identidade e liberar os valores. As orientações foram dadas na tarde desta terça-feira (22) pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Os clientes nessa situação devem seguir um novo calendário e somente ir à agência, com o documento original em mãos, a partir da data indicada no mês de aniversário*. “Queremos evitar aglomerações nas filas. Não adianta liberar o cadastro, se o depósito do dinheiro será feito mais para frente”, disse o executivo.

Veja as datas para desbloqueio de contas:

Mes de aniversário Data para os desbloqueios
Janeiro, fevereiro e março até 24 de julho
Abril e maio de 27 a 31 de julho
Junho e julho de 3 a 7 de agosto
Agosto, setembro e outubro de 10 a 14 de agosto
Novembro e dezembro de 17 a 21 de agosto

Apesar da separação em intervalos de datas, a Caixa diz que é meramente uma forma de organização para evitar filas e que nenhum trabalhador perde o direito do benefício, se solicitar o desbloqueio após seu respectivo período informado. Por outro lado, se a pessoa for à agência antes da liberação do seu mês de aniversário, não será possível fazer o procedimento.

Na terça-feira (21), Guimarães havia informado, em entrevista ao InfoMoney, que dos pouco mais de 65 milhões de brasileiros que já receberam o auxílio, 5% foram bloqueados pelo banco por fraude, ou cerca de 3 milhões de pessoas.

Na coletiva de imprensa desta quarta-feira, ele disse que a Caixa separou as contas bloqueadas em dois grupos: contas com fraude comprovada ou com suspeita; e um segundo grupo, com contas que não têm indícios de golpe, mas que apresentam “inconsistências cadastrais”, ou seja, algum tipo de contradição nas informações apresentadas.

“Precisamos combater a fraude no pagamento do auxilio. É algo muito grave e estamos investigando. Realizamos os bloqueios e 51% dessas contas são de trabalhadores que precisarão ir às agências para fazer o desbloqueio. Com o segundo grupo, que não apresenta indícios de fraude de maneira clara, mas tem inconsistências, o procedimento será digital”, explica.

No caso das pessoas que se enquadram no segundo grupo, será necessário enviar a documentação novamente para efetivar o cadastro, por meio do aplicativo Caixa TEM. Uma mensagem dentro do aplicativo indicará a necessidade de enviar os documentos que faltam por meio do WhatsApp.

“Fundamental frisar que isso [a mensagem pedindo documentação] só vale para o aplicativo do Caixa TEM. Nenhum outro app tem validade nesse processo. Relevante isso para evitar qualquer tipo de envio de documentação para qualquer pessoa que não seja efetivamente do banco”, diz.

WhatsApp Pay, PIX e o futuro da guerra das maquininhas

Fusão? Venda da Latam Brasil para a Azul seria o cenário mais provável, aponta Bradesco BBI