Cielo afirma não participar das discussões com BC sobre implementação do WhatsApp Pay

Após o Banco Central divulgar uma nota liberando os testes do WhatsApp Pay, desde que não sejam executadas operações reais com usuários, a Comissão de Valores Mobiliários (CMV) questionou a Cielo, adquirente parceira do aplicativo na operação de pagamentos, sobre a execução dos testes no mercado.

Ao InfoMoney,  a empresa informou que a nota diz respeito aos acordos entre o regulador e as instituidores de arranjo de pagamento e que não participa destas discussões porque ainda não “foi formalmente notificada”.

A Cielo reforçou que segue o que informou ao mercado, por meio de comunicado em 24 de junho, quando o BC determinou a suspensão das operações com a utilização do WhatsApp Pay, cujo dono é o Facebook: ou seja, está em compasso de espera aguardando uma notificação formal para executar os testes.

Segundo a adquirente, aconteceram duas intervenções: a do Cade, que impôs uma medida cautelar para suspender a operação e que fez um contato direto com a Cielo, e uma do BC que determinou à Visa e Mastercad a cassação da operação.

Nesse sentido, “a Cielo não tem uma interlocução direta com o BC sobre o tema, porque as conversas são conduzidas pelas bandeiras de cartão”, segundo explicou a assessoria da empresa.

Assim, a Cielo deve retomar os testes depois de receber um aviso oficial por parte da Visa e Mastercad – que estão em conversas diretas com a autoridade monetária. Por ora, “a Cielo não recebeu nenhum comunicado do BC”, reiterou a empresa.

O BC informou que a liberação de testes não implica em uma autorização formal para o funcionamento da plataforma de pagamentos pelas empresas do mercado e que o processo formal de análise segue sendo analisado conforme os procedimentos e prazos-padrão.

A autoridade ressaltou, no entanto, que pretende tratar a questão com celeridade, com o objetivo de oferecer um sistema seguro e competitivo.

As ações mais recomendadas pelos analistas para comprar em agosto

6 pontos para entender os impactos da reforma tributária do governo na economia e no seu bolso