Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira

A menor aversão ao risco permite leva às Bolsas a um pregão de alta, apoiado na expectativa de novas medidas de estímulos à economia dos Estados Unidos e os resultados da temporada de balanços. Contudo, no radar, estão a crescente tensão entre as duas principais economias no mundo, EUA e China, e o coronavírus, com o recorde diário de novos casos no Brasil atingido na véspera (67 mil).

Na política brasileira, o presidente Jair Bolsonaro retirou a deputada aliada Bia Kicis da vice-liderança do governo no Congresso Nacional.

Entre as notícias corporativas, a Oi surpreende ao fechar um acordo de exclusividade com um grupo americano para a venda da unidade de telefonia móvel, deixando de lado a proposta em conjunto da Vivo, Claro e TIM.

Já a Petrobras definiu data para o pagamento dos dividendos de 2019 e a Vale criou um comitê para a escolha dos conselheiros.

1. Bolsas mundiais

As Bolsas europeias e os futuros americanos operam em alta nesta quinta-feira apoiados na divulgação de resultados corporativos e na expectativa por novas medidas de estímulo à economia americana. Os investidores também estão de olho na escalada da tensão entre China e Estados Unidos.

O otimismo aumenta nos mercados após republicanos afirmarem, na quarta-feira, que avaliam medidas de estímulo à economia e que uma proposta deve ser apresentada aos colegas democratas. O objetivo do suporte é mitigar os problemas econômicos decorrentes da pandemia da Covid-19.

Os futuros do Dow Jones sobem 0,43% e os do S&P, 0,39%.

Os investidores também aguardam a divulgação de novos dados sobre os pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos, que serão divulgados na manhã desta quinta-feira.

Outro assunto no radar é a temporada dos resultados corporativos. Os investidores querem saber como as empresas foram afetadas no segundo trimestre pelas medidas de distanciamento social e as sinalizações de recuperação. O resultado da Tesla foi acima do esperado, enquanto houve frustração com computação em nuvem da Microsoft.

O DAX, de Frankfurt, registra valorização de 0,73%.

Já a relação entre Estados Unidos e China segue cada vez mais desgastada. A expectativa é que a tensão aumento com a proximidade das eleições americanas.

No mercado asiático, o Shangai SE registrou leve queda de 0,24%, mas o Hang Seng Index, de Hong Kong, subiu 0,82%. Em Tóquio, o Nikkei 225 fechou em queda de 0,58%.

Entre as commodities, o futuro de minério de ferro sobe no mercado europeu após número recorde de infecções por coronavírus no Brasil renovar receios sobre oferta, apesar da leve queda nos mercados chineses. A commodity spot negociada no porto de Qingdao também tem alta de 0,7%, a US$ 111,20.

Já o petróleo WTI se valoriza e supera US$ 42 beneficiado pelo enfraquecimento do dólar.

*Veja o desempenho dos mercados, às 7h37 (horário de Brasília):

Nova York

*S&P 500 Futuro (EUA), +0,39%

*Nasdaq Futuro (EUA), +0,84%

*Dow Jones Futuro (EUA), +0,43%

Europa

*Dax (Alemanha), +0,73%

*FTSE 100 (Reino Unido), +0,64%

*CAC 40 (França), +0,72%

*FTSE MIB (Itália), +0,01%

Ásia

*Nikkei 225 (Japão), não operou (feriado)

*Hang Seng Index (Hong Kong), +0,82% (fechado)

*Shanghai SE (China), -0,24% (fechado)

Commodities e bitcoin

*Petróleo WTI, +0,50%, a US$ 42,11 o barril

*Petróleo Brent, +0,54%, a US$ 44,53 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda de 0,29%, cotados a 845.500 iuanes, equivalente hoje a US$ 120,85 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,9961 (-0,06%)

*Bitcoin, US$ 9.504, +1,78%

2. Agenda

O principal dado a ser divulgado nesta quinta-feira é o número de pedidos de seguros desemprego nos Estados Unidos. O Departamento do Trabalho americano publica nos números da semana às 9h30 (horário de Brasília). A expectativa é que o dado venha em linha com a semana anterior, que contou com 1,3 milhão de pedidos.

Às 11h, sai o índice de indicadores antecedentes referente ao mês de junho e, às 12h, o índice de atividade industrial de julho calculado pelo Federal Reserve (Fed, o bc americano) de Kansas City.

Na agenda do InfoMoney, às 17h, o professor Alan Ghani apresenta o programa Renda Fixa Turbinada e discutirá se há oportunidade de ganho turbinado na renda fixa.

3. Radar político

O presidente Jair Bolsonaro retirou da vice-liderança do governo no Congresso Nacional a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), uma de suas aliadas mais leais. Não foi explicado o motivo da retirada e a justificativa também não consta da mensagem publicada no “Diário Oficial” da União.

A mudança ocorre um dia após a aprovação da renovação do Fundo de Desenvolvimento da Educação (Fundeb) pela Câmara. Às vésperas da votação, ocorrida na terça-feira à noite, o Planalto tentou alterar o parecer da relatora Dorinha Seabra (DEM-TO) para garantir a destinação de parte dos recursos da educação básica para um novo programa de transferência de renda e a postergação da vigência da renovação do fundo para 2022.

As alterações não foram aceitas pelo deputado, que mantiveram o texto da relatora. Apenas seis parlamentares votaram contra (Bia Kicis e outros seis da base aliada de Bolsonaro). Para minimizar o efeito da derrota, Bolsonaro, na quarta-feira, passou a atribuir a aprovação do Fundeb ao seu governo.

A retirada de Kicis também ocorre no momento em que o Planalto se aproxima do núcleo conhecido como Centrão.

4. E-commerce

Dados da Neotrust e do Compre&Confie mostram que entre abril e e junho, meses do pico das medidas de distanciamento social, 5,7 milhões de clientes fizeram a primeira compra pela internet, segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”. O número mostra uma aceleração em relação aos novos consumidores do segundo trimestre de 2019, quando 4,3 milhões aderiram ao comércio digital.

Segundo a reportagem, a percepção entre executivos do setor de comércio é que novos consumidores de diferentes faixas etárias e de renda aderiram à facilidade de comprar pela internet e as vendas digitais devem se firmar em patamares superiores aos do pré-Covid.

5. Panorama corporativo

A Oi informou na noite de quarta-feira que fechou um acordo de exclusividade com a americana Highline para negociar a venda de suas operações de telefonia celular. A operadora em recuperação judicial afirmou que a proposta ficou acima do preço mínimo de R$ 15 bilhões definido para essa unidade de negócio.

Um consórcio entre Claro, Tim e Vivo já havia comunicado interesse nesse ativo e o benefício de cobrir outras ofertas que se mostrassem mais atrativas para a Oi. No entanto, ao ter o acordo de exclusividade, é a Highline quem tem o direito de cobrir outras propostas recebidas ao longo da disputa. O acordo tem um período de vigência previsto até o próximo dia 3 de agosto, mas pode ser prorrogado.

A Highline é controlada pela gestora americana Digital Colony e já tinha feito nesta semana uma proposta para comprar por R$ 1,076 bilhão pela unidade de torres da Oi, outro ativo à venda.

A Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Petrobras aprovou o pagamento de dividendos aos acionistas referentes ao exercício de 2019, no valor de cerca de R$ 1,7 bilhão aos detentores de ações ordinárias e de R$ 2,5 milhões aos preferencialistas.

O pagamento está previsto para ocorrer em 15 de dezembro de 2020, conforme fato relevante. Esse desembolso foi adiado em função das incertezas relacionadas à pandemia da Covid-19.

Os valores foram atualizados pela variação da taxa básica de juros (Selic) do período de 31/12/2019 até 22/07/2020, o que representou um acréscimo nas ações ordinárias de R$ 0,004420 por ação ordinária e R$ 0,000008 por cada preferencial. Desta forma, o valor total distribuído aos acionistas será de 0,238069 centavo por ação ordinária e 0,000457 centavo por ação preferencial.

Já o Conselho de Administração da Vale aprovou a criação de um “comitê de nomeação”, que terá como objetivo propor melhorias à estrutura do próprio colegiado e indicar os próximos conselheiros que serão eleitos em assembleia em abril de 2021, prevista para ser a primeira sem o acordo de acionistas.

Vão integrar esse comitê o ex-presidente da Petrobras e ex-ministro Pedro Parente, atualmente presidente do conselho de administração da BRF; e o presidente do conselho de administração da Embraer, Alexandre Gonçalves Silva. O presidente do conselho, que atualmente é José Maurício Coelho, presidente do fundo de pensão Previ, um dos principais acionistas da mineradora.

Fusão? Venda da Latam Brasil para a Azul seria o cenário mais provável, aponta Bradesco BBI

Ação ON da Oi dispara 19%, TIM e Vivo têm queda forte com nova oferta; Cogna cai quase 7% e Petrobras recua 2%